A Marta não trouxe apenas uma mala. Trouxe duas grandes malas com caixas de ovos, pinturas e mil pecinhas para ajudar à perícia dos miúdos.

Para além disso, a Marta trouxe com ela o encanto dos olhos de uma menina que não quer deixar de brincar. “Viesse apenas um menino, e eu teria vindo na mesma”, disse-me ela. Obrigada querida Marta.

Os miúdos inventaram personagens e, das caixas, nasceram leões, super-heróis, cães e até gatos que galopavam com cavaleiro e tudo. Ao Lourenço, sobrou-lhe imaginação que por cá fica na memória, de gato sapato, fez gato galopante. “Gatalgar”, dizia com convicção..!

 

 

 

 

 

 

Anúncios