Assim foi a manhã na azinhaga, entre pratos!

Nas palavras de Mia Couto em O Fio das Missangas, ” Cozinhar é o mais arriscado e privado ato. No alimento se coloca ternura ou ódio. Na panela se verte tempero ou veneno. Cozinhar não é serviço. Cozinhar é um modo de amar os outros”.

Foi assim que a Margarida nos trouxe a bagagem da culinária macrobiótica…com a dedicação ternurosa de quem se dedica a este tema de corpo e alma.

Obrigada Margarida, pelo belo almoço e por todos os segredos.

Obrigada às cozinheiras, pela tão agradável companhia…

Anúncios